Dicas de hábitos sustentáveis no dia a dia

habitos-sustentaveis

É possível melhorar o ambiente mudando hábitos do cotidiano. Se você seguir o roteiro abaixo, também pode colaborar.

Economize água

Não deixe a torneira aberta mais tempo que o necessário e conserte vazamentos rapidamente. Uma única torneira pingando pouco mais de uma gota por segundo pode desperdiçar, em um dia, 46 litros de água, Troque a descarga do vaso sanitário por um modelo de 6 litros . O custo da troca é compensado pela economia de água, já que as descargas convencionais gastam, em média ,13 litros a cada uso.

Prefira produtos biodegradáveis

Vários produtos de limpeza e higiene contêm substâncias químicas tôxicas. Algumas demoram a se degradar no meio ambiente. Substitua produtos de limpeza à base de cloro por vinagre ( para desengordurar) e bicarbonato de sódio ( para limpar pias e vasos sanitários). Xampus e detergentes para louça costumam conter fosfato, nitriente que provoca crescimento acelerado de algas em rios e lagos.As algas consomem o oxigênio da água e causam mortandade de peixes.

Procure alimentos orgânicos

O consumo de produtos orgânicos beneficia, em primeiro lugar a saúde. Esses alimentos não têm antibióticos, pesticidas ou metais pesados, Os orgânicos promovem também a melhoria ambiental, pois são produzidos sem o acréscimo de aditivos químicos ou pesticidas ao solo. Prefira produtos nativos, produzidos na região onde você mora. Se os Orgânicos forem caros, inclua pelo menos alguns produtos sem agrotóxico nas compras.

Consuma menos carne

A pecuária bovina é a maior responsável pelo desmatamento no Brasil. Além disso, a produção de suínos e aves consome grande parte da produção de grãos, o que pressiona as florestas. A suinocultura também é responsável pela contaminação de rios, lagos e represas. Um porco produz dejetos equivalentes aos de oito seres humanos. Boa parte dos peixes e produtos marinhos é capturada por meio de técnicas predatórias, como o arrastão, e 30% do que vem na rede é jogado fora depois.

Não crie animais silvestres

Ter espécies nativas é , em primeiro lugar, crime previsto em lei. Contribui para a extinção daquela espécie na natureza. Antes de chegar às lojas e feiras, os animais silvestres quase sempre são maltratados. Quase tão grave quanto manter um animal silvestre é soltá-lo de volta à natureza sem o acompanhamento de especialistas. Se não morrer, o animal pode interferir na cadeia alimentar estável, causando danos à biodiversidade.

Cultive áreas verdes

Cultive gramados e jardins mantendo pavimentado apenas o que for indispensável. A infiltração no solo verde faz a água chegar mais lentamente a rios, córregos e represas, e isso reduz as enchentes. Se o jardim não for suspenso e estiver em contato direto com o solo, ele ajuda também a captar água para mo lençol freático.  A falta de áreas verdes é responsável pelas ilhas de calor nas cidades. Além de oferecer conforto térmico, a vegetação urbana valoriza os imóveis e abriga a fauna.

Diminua o uso de embalagens

Racionalize o uso de sacolas plásticas em lojas de supermercados. Não leve três sacolas se uma for suficiente. Melhor ainda é ir às compras levando uma sacola de casa. Outra opção é pedir caixas de papelão, material mais ecológico. Preste atenção à composição das embalagens. Em ordem de preferência escolha papel e papelão, vidro, lata e, por último, plástico.

Leia os rótulos com atenção

Além de listar os ingredientes e a data de validade, o rótulo traz a procedência. Quanto mais distante for o local de origem do produto, mais transporte, mais combustível e mais embalagens foram necessários. Veja se ele tem certificação de qualidade, como do Inmetro. Produtos de origem florestal devem ter o selo do IBAMA ou do Conselho de Manejo Florestal. Produtos agrícolas devem ser certificados pela Rede de Agricultura Sustentável ( RAS). Os rótulos devem avisar se o produto e a embalagem são recicláveis ou se já são reciclados. Essa informação tem de estar clara, para que o consumidor não compre o produto achando que é reciclável, quando isso vale só para embalagem.

Evite produtos descartáveis

Imagine a quantidade de plástico consumido por uma pessoa que toma dois cafés e dois copos de água por dia em copos descartáveis. Em um ano, são 1.460 copos. Mantenha uma caneca no escritório para o uso individual. Cada mulher usa, ao longo da vida, cerca 10 mil absorventes descartáveis. Apenas nos Estados Unidos são jogados fora 12 bilhões de absorventes e 7 bilhões de tampões por ano. Já existem no mercado as opções recicláveis.

Economize energia

Prefira lâmpadas fluorescentes, além de consumir 75% menos energia, elas duram de seis a dez vezes mais que as incandescentes. Cuidado, no entanto, na hora do manuseio e descarte: algumas lâmpadas fluorescentes contém metais pesados, sobretudo o mercúrio metálico. Prefira as nacionais, que não seguem as mesmas restrições a esse respeito. Use melhor a luz do sol, abrindo as janelas, cortinas e persianas.  Apague as lâmpadas de ambientes desocupados. Use iluminação dirigida (de spots) para leitura e trabalhos manuais. Desligue da tomada equipamentos elétricos que não estiverem em uso, como TV, aparelho de som, microondas etc.

Recicle lixo

Cerca de 40% do lixo encaminhado para a reciclagem volta para os lixões e aterros urbanos. Em parte, isso ocorre porque os resíduos não são reaproveitáveis por nenhuma indústria – e também voltam aos lixões. Por isso, é importante saber exatamente o que é reciclável. Anote o que é lixo comum (não reaproveitável): papes sujos e sanitários, papel-carbono, papel de fax,plastificados, papéis mistos (metalizados, plastificados, parafinados), etiquetas adesivas, clipes e esponjas de aço, copos de café,sacos de salgadinho, embalagens de biscoito, isopor, filme fotográfico, misturas de plásticos com metal ( como as embalagens de queijo ralado ), espelhos,, lâmpadas, vidros planos ( como vidros de janelas). O lixo orgânico (restos de comida) também deve ir para a coleta comum, a menos que haja local próximo onde seja feita a compostagem – transformação dos resíduos em adubo. O resto (vidros, metais, papéis, e plásticos recicláveis) deve ser encaminhado para a coleta seletiva municipal ou para as cooperativas de catadores. Use papel reciclado disponível no mercado.

Texto divulgado por Rodrigo Martins <geografeiro@yahoo.com.br> na lista Geografia do Yahoo <geografia@yahoogrupos.com.br> em 11-02-2005

Editado por Karol Martins