Governo e empresários acordam sobre reciclagem de embalagens

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira e entidades setoriais assinaram no dia 25 de janeiro o acordo de logística reversa de embalagens, que pretende formalizar o processo de reciclagem de embalagens dos mais diversos produtos.

A primeira meta, de recolher 22% a mais de embalagens do que já são recolhidas atualmente, será avaliado em dois anos. “Vamos rever depois para, com o tempo, chegarmos a 100%”, disse a ministra.

Com o acordo, os empresários signatários vão ter que tirar do mercado as embalagens dos produtos que colocaram à venda e encaminhar para a reciclagem. Ao todo, 20 associações, representantes dos mais diversos setores, como alumínio, alimentos, cosméticos e bebidas e também de catadores, assinaram o documento, que demorou quatro anos para ser concluído.

“Falta muita coisa, mas não é trivial convergir setores produtivos, cada um com seus interesses”, disse Izabella Teixeira, acrescentando que o ponto mais importante do pacto é a formalização da cadeia produtiva de reciclagem.

Segundo o presidente da associação Compromisso Empresarial para Reciclagem, Victor Bicca, no Brasil 65% das embalagens colocadas no mercado são recicladas.

“Em alguns casos, como no das latas de alumínio, somos campeões mundiais de reciclagem, com aproveitamento de 98%”, disse. “A gente vai desenvolver projetos, capacitando as cooperativas e as tornando cada vez mais aptas para fazerem a coleta em parceria com municípios ou outros parceiros”.

O empresário enfatizou que as empresas signatárias agora têm o compromisso de comprar todo o material reciclado que for ofertado pelas cooperativas.

O acordo está previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos, de 2010. Assim como este, já foram assinadas parcerias nos setores de agrotóxicos, óleo mineral. Ainda estão em fase de elaboração acordos na área de medicamentos e de eletroeletrônicos.

Fonte: Exame Brasil